Sobre olhar para as pessoas e oferecer cafés compartilhados

Não costumo passar pelo começo da Rua da Consolação pra voltar pra casa. Prefiro passar pela Praça Roosevelt e ver o pessoal andando de skate, os atores das escolas de teatro, mas eu precisava renovar um livro na Biblioteca Mário de Andrade (que fica na Av. São Luiz) e achei prudente seguir pela Rua da Consolação.

Quase chegando à Av. São Luiz (e andando rápido como de costume) eu quase passei batida por uma plaquinha que chamou a minha atenção.

Eu li “Café compartilhado! Já pagou o seu hoje?” e fiquei muito curiosa pra saber do que se tratava. Então voltei e perguntei ao vendedor, que se apresentou como Sr. Neves e me disse como funcionava o tal do café compartilhado.

Ele falou que o café compartilhado é destinado a quem não tem condições de comprar um café como pessoas em situação de rua e que os clientes compram cafés, chás, bolos, lanches e marcam numa lousa, destinada às comidas “compartilhadas”, que servem como um “crédito”.

Revirei as moedas no fundo da minha mochila e deixei um café compartilhado. Esperei Neves escrever na lousa, agradeci e fui andando para a biblioteca.

Chegando em casa (porque estava sem 3g) postei a foto no meu instagram e facebook, como faço com tantas fotos que tiro por aí, mas nunca pensei que ela fosse atingir uma repercussão tão positiva.

Gostei muito da atitude do Sr. Neves por ser um gesto de gentileza, mas sobretudo por ocupar a rua, o espaço público com o seu sustento e ao mesmo tempo lançar o olhar às pessoas que estão ao nosso redor, que transitam como invisíveis, as pessoas em situação de rua.

Olhei o facebook e muitos amigos curtiram a publicação e pediram para que eu alterasse a privacidade da foto e a deixasse como “pública”, para que mais pessoas soubessem da ação.

Acordei às 6h da manhã para ir a uma entrevista de estágio, mas decidi passar na banca do Neves, tomar um café e contar sobre a publicação. Contei que o post tinha mais de 10.000 curtidas e ele me respondeu com um sorriso estampado no rosto “menina, eu vi! Até meus filhos de Porto Alegre ficaram sabendo e compartilharam a foto! Gente, olha aqui, ela é a jornalista que tirou a foto e postou”.

Eu ri e descobri então que o vendedor do café compartilhado é gaúcho, tem 54 anos e está em São Paulo há 9. Neves é analista de suporte técnico e começou a trabalhar vendendo café em 2014.

Quase na hora de ir embora eu perguntei como ele teve a ideia do café compartilhado. Neves disse que quem despertou a ideia foi uma cliente mato-grossense que comprou um café e pediu pra que ele descontasse dois, deixando o outro “compartilhado”. Ele não entendeu e perguntou pra ela do que se tratava.

Depois de ouvir as explicações da moça ele gostou da ideia e pesquisou na internet sobre essa atitude. Descobriu que o café compartilhado ou suspenso já é praticado em países da Europa, mas aqui no Brasil ainda é uma novidade.

Neves decidiu aderir ao gesto e desde então colocou uma lousa para registrar os créditos dos cafés, bolos e lanches compartilhados e oferece estes créditos às pessoas em situação de rua, mas disse que na maioria das vezes acaba dando mais do que está registrado na lousa.

O Sr. Neves fica na Rua da Consolação (em frente ao número 318), de segunda à sexta em dois horários: das 5h30 às 11h e das 17h30 às 22h!

Aqui tem o link do Google Maps da localização exata: https://www.google.com.br/maps/@-23.547567,-46.644239,3a,75y,37.95h,78.93t/data=!3m4!1e1!3m2!1snyO3P8zlpwXtCK7jTVpuPA!2e0

Sr. Neves e sua banquinha no começo da Rua da Consolação.

Sr. Neves e sua banquinha no começo da Rua da Consolação.

Anúncios

11 comentários sobre “Sobre olhar para as pessoas e oferecer cafés compartilhados

  1. Trabalho aonde o Neves vende seus bolos e café. Sem palavras pra dizer da simpatia, educação, e postura com q o Neves nos atende. Parabéns Neves que vc consiga muito mais.

    Curtir

  2. De repente vi várias pessoas do meu facebook compartilhando sua foto. Desde amigos de outros estados, até minha mãe que me mostrou como uma ideia muito bacana.
    Espero que as pessoas não só compartilhem seu post, mas compartilhem muitos bolos e cafés.

    Curtir

  3. Este gesto tem um nome “AMOR” as pessoas estão carente de amor. Parabéns por esta iniciativa, que muitas pessoas sigam o exemplo deste senhor, abençoando e sendo abençoado!!! abç

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s